A Saudade que Fica crítica do filme Netflix 2024 (1)

Foto: Netflix / Divulgação

Novo filme japonês da Netflix, “A Saudade que Fica” (The Parades) combina drama com elementos de fantasia, e promete emocionar os assinantes com uma história sobre perdas e recomeços.

Leia também

‘Destino Londres’, a dura realidade dos imigrantes em terras estrangeiras

Fãs da franquia vão gostar de ‘Através da Minha Janela 3: Olhos nos Olhos’

‘Mea Culpa’ é um entretenimento descompromissado

Sinopse de A Saudade que Fica, da Netflix (2024)

Após uma calamidade devastadora, uma mãe procura pelo filho desaparecido. Até descobrir que ela está morta e presa em um reino de espíritos perturbados.

Leia mais críticas de filmes da Netflix

Crítica do filme A Saudade que Fica, da Netflix

Uma das características mais marcantes do filme é a maneira como ele retrata a vida após a morte. Os espíritos não são representados como entidades assustadoras, mas sim como seres humanos comuns que lutam com suas próprias dores e arrependimentos. A forma como esses personagens interagem e se apoiam uns nos outros cria uma narrativa emotiva e comovente, que ressoa com o público.

Além disso, “A Saudade que Fica” também aborda questões mais amplas sobre a vida e a morte, como o significado da existência e a importância de aceitar a finitude da vida. O filme convida os espectadores a refletir sobre suas próprias vidas e relacionamentos, e sobre como podem encontrar significado e redenção mesmo diante das maiores adversidades.

Em termos técnicos, o filme também se destaca pela sua fotografia cuidadosamente elaborada e pela sua trilha sonora evocativa, que contribuem para criar uma atmosfera única e envolvente. Com ótimas atuações e uma direção competente, “A Saudade que Fica” é uma obra que merece ser apreciada por sua beleza e profundidade. É um lembrete poderoso da fragilidade da vida, e da importância de encontrar significado e conexão mesmo nas circunstâncias mais difíceis.

Leia tudo sobre séries da Netflix

A Saudade que Fica, da Netflix, é bom?

Enfim, “A Saudade que Fica” oferece uma experiência profundamente emotiva e reflexiva. Com uma narrativa poética e personagens envolventes, o filme aborda temas universais como vida, morte, amor e esperança de uma maneira que toca o coração do público.

  • Vai comprar na Amazon? Então ajude o Flixlândia adquirindo seus produtos pelo nosso link: https://amzn.to/41fnLbN

Siga o Flixlândia nas redes sociais

Onde assistir ao filme A Saudade que Fica (2024)?

“A Saudade que Fica” estreou nesta quinta-feira, dia 29 de fevereiro de 2024, no catálogo da Netflix.

Trailer do filme A Saudade que Fica, da Netflix (2024)

A Saudade que Fica: elenco do filme da Netflix (2024)

  • Masami Nagasawa
  • Kentaro Sakaguchi
  • Ryusei Yokohama
  • Nana Mori
  • Yuina Kuroshima
  • Ayumu Nakajima
  • Takuya Wakabayashi

Ficha técnica do filme A Saudade que Fica, da Netflix (2024)

  • Título original do filme: The Parades
  • Direção: Michihito Fujii
  • Roteiro: Michihito Fujii
  • Gênero: drama
  • País: Japão
  • Ano: 2024
  • Duração: 132 minutos
  • Classificação: 14 anos

Sobre o autor

10 thoughts on “‘A Saudade que Fica’, uma experiência profundamente emotiva e reflexiva

  1. Poético e cativante. Precisa prestar atenção para entender. Cada um precisa resolver suas preocupações com quem ficou, para então partir em paz. A Nana volta do coma para contar sua esperiência de quase morte e sua convivência com quem se preparava para partir desse limbo entre duas dimensões.

  2. Acabei sem entender se era só pesadelo da jornalista ou realidade. Se estava viva ou nao. Meio sem sentido. Nao gostei.

  3. Filme belo, delicado, os afetos que continuam para além dessa dimensão, o que ficou por resolver e as possibilidades de resolver questões essenciais para só então partir. Poético.

  4. Realmente não deu pra entender direito. Ficou muito subentendido. Eu, por exemplo, não entendi o porquê da dona do bar estar ali e nem o motivo dos outros personagens. Mas deve ser porque sou meio lenta para interpretação.

    1. Se não me engano a dona do bar queria ver a filha se casando ou crescendo, o velho por deixar a amada, o da máfia também. Nana porque no fundo não queria morrer e deixou a amiga, só que não fez sentido a nana estar la. Porque quando o filho da moça tava entre a vida e a morte ele tava no mundo real, mas podia ver ela, já a nana foi ao contrário. Mas esse filme me comoveu, mas eu tava esperando ela ajudar todos, mas ela só ajudou o velho, que nem entregou

  5. Achei bem interessante, aborda a morte de maneira que continuamos com nossos sentimentos, pessoas buscando o perdão de seus entes queridos, o final foi comovente, a menina voltando do coma e podendo colocar em prática o que viveu ou sonhou. Parabéns

  6. Assisti o filme A SAUDADE E QUE FICA e detestei, achei um filme sem pé nem cabeça. Assisti duas vezes para ter certeza da minha opinião. Você fica sem entender se é ilusório, o final é pior ainda. Foi o primeiro filme japonês que não gostei. Sou telespectadora assídua de filmes do Japão e Coreia do Sul mas esse….sinceramente perdi 4 horas. Horrível. Pode ser que tenha alguma coisa a ver com a crença do Japão que desconheço. Viviane

    1. Para quem nunca questionou e não acredita na vida pós-morte fica realmente dificil de entender. A mensagem que passa é que devemos resolver nossas questões com as pessoas a nossa volta, vamos partir, vamos morrer e devemos estar bem com todos para que possamos seguir nossa viagem e não ficar presa a vida terrena que finalizou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *