Constelação episódio 8 crítica do final da série Apple TV Plus 2024

Foto: Apple TV+ / Divulgação

“Constelação” (Constellation) chega ao seu final com o episódio 8, intitulado “Esses Fragmentos que Escorei contra a Minha Ruína”. O capítulo tenta amarrar pontas soltas, mas deixa muito a desejar. Ao cair o pano desta odisseia cósmica, os espectadores ficam lutando com uma mistura de satisfação e frustração, incertos se devem aplaudir a ambição da série ou lamentar suas oportunidades perdidas.

Leia também

Elenco talentoso sustenta início irregular de ‘Palm Royale’

‘Último Ato’ é mais um acerto da Apple TV+

‘Mestres do Ar’ tem desfecho digno

Sinopse da série Constelação, da Apple TV+ (2024)

Em “Constelação”, Jo (Noomi Rapace), uma astronauta que retorna à Terra após um acidente fatal no espaço, descobre que partes essenciais da sua vida não existem mais. Esta aventura espacial repleta de ação explora os cantos mais sombrios da psicologia humana e mostra a luta desesperada de uma mulher para expor a verdade oculta sobre as viagens espaciais e recuperar tudo o que perdeu.

Leia mais críticas de séries da Apple TV+

Crítica do episódio 8 – final da série Constelação

No foco do final da série está a jornada de Jo para o desconhecido, quando ela se vê internada em um centro de reabilitação para astronautas. Aqui, a verdade sobre a situação deles é revelada, ou assim parece. Os superiores estão escondendo algo, mas os motivos por trás de suas ações permanecem obscuros. É puramente psicológico ou existe mesmo um mundo paralelo à espreita além do véu da realidade? A resposta permanece incerta, o que deve deixar muitos espectadores frustrados.

Um dos pontos fortes do episódio é o retrato da resiliência da família diante da adversidade. Jo, junto com as duas Alices, lidam com a constatação de que suas realidades foram fraturadas, mas encontram consolo em aceitar as circunstâncias e fazer o melhor com o que têm. A inclusão de Magnus neste círculo familiar ao final serve como um lembrete pungente do poder dos laços familiares para enfrentar as tempestades mais violentas.

Além disso, a ausência de um antagonista tradicional leva mais profundidade à narrativa, permitindo que o foco permaneça nas lutas internas dos personagens ao invés de forças externas. Essa abordagem convida os espectadores a ponderar sobre as complexidades da natureza humana e as linhas tênues entre heroísmo e vilania.

Reviravolta

A reviravolta no final – que não vamos revelar aqui para evitar spoilers – é indiscutivelmente impactante. Serve como um lembrete assombroso da fragilidade da existência e dos mistérios que persistem além dos limites da compreensão humana. No entanto, essa revelação também serve para deixar pontas soltas, um argumento narrativo que pode frustrar os espectadores que buscam um encerramento.

Final sem impacto

Apesar de seus pontos fortes, o final não consegue entregar uma conclusão satisfatória para a série. A resolução parece apressada, falhando em fornecer respostas à miríade de perguntas que atormentaram os espectadores ao longo da temporada. A luta de Jo para descobrir a verdade torna-se anticlimática, com a revelação de que os superiores estão escondendo algo, mas a verdadeira natureza de sua situação permanece frustrantemente ambígua.

A grande quantidade de fios soltos e tramas não resolvidas diminui ainda mais o impacto do final, deixando os espectadores com uma sensação de que a série poderia mais. A simplicidade da resolução parece uma oportunidade perdida para se aprofundar nas complexidades da narrativa, deixando muito a desejar em termos de profundidade e exploração da trama.

Leia críticas de filmes da Apple TV+

Conclusão

Embora o final ofereça momentos de comoção e intriga, o episódio 8 de “Constelação” falha em entregar uma conclusão satisfatória para a série. Apesar de sua ambição e visão criativa, a resolução apressada do final e os pontos da trama não resolvidos deixam uma sensação persistente de decepção, manchando o que poderia ter sido uma conclusão estelar para uma jornada cativante pelo cosmos.

  • Vai comprar na Amazon? Então ajude o Flixlândia adquirindo seus produtos pelo nosso link: https://amzn.to/41fnLbN

Siga o Flixlândia nas redes sociais

Onde assistir à série Constelação (2024)?

A série “Constelação” estreou nesta quarta-feira, 21 de fevereiro de 2024, no catálogo da Apple TV+.

Trailer da série Constelação, da Apple TV Plus (2024)

Constelação: elenco da série da Apple TV+ (2024)

  • Noomi Rapace
  • Jonathan Banks
  • James D’Arcy
  • Julian Looman
  • William Catlett
  • Barbara Sukowa
  • Rosie Coleman
  • Davina Coleman

Ficha técnica da série Constelação, da Apple TV Plus (2024)

  • Título original da série: Constellation
  • Criação: Todd A. Kessler
  • Direção: Michelle MacLaren, Oliver Hirschbiegel, Joseph Cedar
  • Roteiro: Peter Harness, Sean Jablonski, Ragna Wei, Sean Jablonski
  • Gênero: ficção científica, suspense
  • País: Estados Unidos, Reino Unido, França
  • Ano: 2024
  • Temporada: 1
  • Episódios: 8
  • Duração: de 50 a 58 minutos
  • Classificação: 16 anos

Sobre o autor

1 thought on “Que pena, ‘Constelação’

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *