Na Hora da Virada crítica do filme Netflix 2022

Foto: Netflix / Divulgação

“Na Hora da Virada” (On the Come Up), filme dirigido pela atriz Sanaa Lathan, que estreou nesta sexta-feira (8) na Netflix, narra a jornada de Bri (Jamila Gray), uma jovem de 16 anos determinada a se tornar uma famosa rapper. Ambientado na fictícia Garden Heights, o longa retrata as lutas da personagem para superar adversidades e honrar o legado de seu falecido pai, um MC lendário conhecido como Lawless.

Leia também

‘Por que eu me casei?’ traz reflexões sobre casamento e compromisso

‘Donzela’ tenta reinventar o gênero, mas falha na execução

‘Caçadores de Obras-Primas’, a arte em tempos de guerra

Sinopse de Na Hora da Virada, da Netflix

A trama segue Bri enquanto ela tenta encontrar seu lugar no cenário musical, enfrentando desafios como o racismo institucional, a pobreza e a pressão da indústria musical. Com sua mãe, Jay (Lathan), uma ex-viciada em recuperação, e sua tia Pooh (Da’Vine Joy Randolph) ao seu lado, Bri busca o reconhecimento em batalhas de rap locais, na esperança de prover para sua família e seguir os passos de seu pai.

Leia mais críticas de filmes da Netflix

Crítica do filme Na Hora da Virada (2022)

Baseado no romance homônimo de Angie Thomas, responsável pelo excelente “O Ódio que Você Semeia” (inclusive, o filme também é sensacional), “Na Hora da Virada” segue uma fórmula familiar de obras sobre ascensão no mundo do rap, mas sem a autenticidade de títulos como “8 Mile” (2002) e “Ritmo de um Sonho” (2005). A direção visualmente inerte de Lathan e a falta de profundidade na exploração do bairro de Garden Heights contribuem para uma experiência artificial e pouco atraente.

O filme também falha ao tentar criar empatia com a protagonista através de monólogos internos e versos de rap simplistas, que não acrescentam em nada à personagem. Além disso, a história parece deslocada no tempo ao fazer referências datadas, como o uso de Pandora como aplicativo de streaming e Soundcloud como plataforma de música.

Apesar de suas falhas, “Na Hora da Virada” traz uma atuação singela de Jamila Gray como Bri, capturando com eficiência a complexidade da protagonista e sua jornada de autodescoberta. A química entre os personagens, especialmente nas relações de Bri com sua mãe e tia, aprofunda a narrativa, elevando-a além de sua previsibilidade.

Leia tudo sobre séries da Netflix

Conclusão

“Na Hora da Virada” pode não ser revolucionário, mas oferece uma história sincera e uma boa atuação de Jamila Gray. Embora falhe em muitos pontos, é um filme bem-intencionado, recomendada especialmente para fãs de tramas de superação e amantes de música rap.

  • Vai comprar na Amazon? Então ajude o Flixlândia adquirindo seus produtos pelo nosso link: https://amzn.to/41fnLbN

Siga o Flixlândia nas redes sociais

Onde assistir ao filme Na Hora da Virada (2022)?

“Na Hora da Virada” estreou nesta sexta-feira, dia 8 de março de 2024, no catálogo da Netflix.

Trailer do filme Na Hora da Virada, da Netflix (2022)

Na Hora da Virada: elenco do filme da Netflix (2022)

  • Jamila Gray
  • Da’Vine Joy Randolph
  • Lil Yachty
  • Mike Epps
  • Sanaa Lathan
  • Method Man

Ficha técnica do filme Na Hora da Virada, da Netflix (2022)

  • Título original do filme: On the Come Up
  • Direção: Sanaa Lathan
  • Roteiro: Kay Oyegun, Angie Thomas
  • Gênero: comédia, drama, musical
  • País: Estados Unidos
  • Ano: 2022
  • Duração: 116 minutos
  • Classificação: 12 anos

Sobre o autor

2 thoughts on “A intenção é o que conta em ‘Na Hora da Virada’

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *