A Sociedade da Neve crítica do filme espanhol da Netflix 2024

Foto: Netflix / Divulgação

ADirigido por Juan Antonio Bayona, o filme “A Sociedade da Neve” (La Sociedad de la Nieve), que acaba de chegar ao catálogo da Netflix, é o indicado ao Oscar 2024 da Espanha em Melhor Filme Internacional e está na pré-lista da premiação em mais três categorias: Cabelo e Maquiagem; Melhor Trilha Sonora Original; e Efeitos Visuais. Reconhecimentos que julgamos como justos ao ver a película espanhola coproduzida com Uruguai, Chile e Estados Unidos.

Leia também

‘Tribunal de Família’ é uma experiência reflexiva e emotiva

‘Criptofraude’ e o obscuro mundo das criptomoedas

Masato Harada reafirma seu talento em ‘Golpe Perigoso’

Sinopse de A Sociedade da Neve

Baseado no livro homônimo do jornalista Pablo Vierci, o filme conta a história real de um acidente aéreo ocorrido nos Andes, em 1972. A trama inicia-se em um clima festivo, onde um grupo de jogadores de rugby uruguaios se prepara para uma viagem cheia de expectativas e camaradagem. No entanto, a alegria é abruptamente substituída pela desesperação quando o avião se choca nas implacáveis montanhas da região.

Leia mais críticas de filmes da Netflix

A história real de A Sociedade da Neve

Antes de qualquer coisa, se você não quer ter “spoiler” de “A Sociedade da Neve”, ainda que seja uma história real muito conhecida, aconselho a pular esse trecho da crítica destrinchando o acidente aéreo.

No dia 13 de outubro de 1972, os pilotos de um voo da força aérea que levava o time de rugby do Uruguai para Santiago do Chile se confundiram por causa do mau tempo. Eles acabaram iniciando o procedimento de descida antes da hora, resultando em um impacto no cume da Cordilheira dos Andes, a mais de 4 mil metros de altitude, praticamente em velocidade de cruzeiro. O avião turbo-hélice Fairchild FH-7827 desceu a mais de 300 km/h pela neve e se partiu em dois até parar em um banco de gelo.

A Sociedade da Neve: quantos sobreviveram e morreram?

Ao todo, 12 pessoas morreram na queda e 17 não conseguiram resistir aos dias posteriores. Entretanto, um grupo de 16 jovens foi resiliente e aguentou temperaturas negativas de até 30 graus. Tudo isso sem roupas adequadas, além da escassez de comida e água.

Atualmente, alguns desses sobreviventes fazem conferências voltadas a empresários, empreendedores e desportistas. Anualmente, eles também se reúnem todo dia 22 de dezembro para celebrar uma espécie de aniversário, pois foi nesta data de 1972 que todos conseguiram ser resgatados e consideram ter nascido novamente.

Leia críticas de séries da Netflix

Afinal, A Sociedade da Neve é bom?

“A Sociedade da Neve” não se limita a ser um relato sobre um desastre trágico; é uma exploração profunda da psique humana sob pressão extrema. O filme confronta os espectadores com perguntas difíceis sobre ética, moralidade e os instintos primitivos de sobrevivência. Ao fazê-lo, Bayona nos lembra da complexidade inerente à condição humana quando enfrentamos situações que desafiam nossas noções convencionais de certo e errado.

A escolha de focar não apenas na tragédia em si, mas nas escolhas agonizantes que os sobreviventes são forçados a fazer, adiciona camadas de profundidade à trama. A luta entre a preservação da vida e a manutenção da humanidade é pintada com pinceladas emocionais, desafiando a audiência a se colocar no lugar desses personagens em situações impossíveis.

Resiliência e solidariedade

Uma das forças motrizes do filme é a capacidade humana de resistir e se unir diante da adversidade. O diretor retrata a resiliência não como uma qualidade abstrata, mas como uma manifestação concreta de coragem e determinação. A jornada dos sobreviventes nas montanhas torna-se uma metáfora visual para a trajetória humana em si, cheia de altos e baixos, mas permeada pela esperança e pela vontade inquebrantável de sobreviver.

A solidariedade entre os personagens, enquanto enfrentam o desconhecido juntos, é uma parte fundamental da história. Em um ambiente onde cada decisão é uma questão de vida ou morte, o filme destaca como a conexão humana é essencial para superar desafios aparentemente insuperáveis. A exploração dessa dinâmica de grupo é tão impactante quanto reflexiva, destacando a capacidade da humanidade de ser compassiva mesmo nas circunstâncias mais sombrias.

Fotografia e simbolismo

A estética cinematográfica de “A Sociedade da Neve” contribui significativamente para a profundidade emocional do filme. Bayona utiliza a vastidão das montanhas para criar um senso de isolamento, amplificando a magnitude da tragédia. Cenas de tirar o fôlego capturam a desolação do ambiente, enquanto a câmera, muitas vezes, se aproxima intimamente dos rostos dos personagens, permitindo que os espectadores vejam as emoções cruas e não filtradas.

O simbolismo desempenha um papel crucial, desde a representação visual da esperança através de pequenos gestos até a utilização da natureza implacável como uma força que tanto desafia quanto redime. O uso da metáfora visual eleva o filme além de uma simples “aventura” de sobrevivência, transformando-o em uma reflexão cinematográfica sobre a existência humana.

Conclusão

Ao fim de “A Sociedade da Neve”, temos a certeza de que a presença do filme na pré-lista do Oscar em todas as categorias indicadas é mais do que justa. Com efeitos visuais impactantes e angustiantes, bem como sua trilha sonora arrebatadora e maquiagem impecável, o longa-metragem de Bayona é uma obra de arte que transcende as fronteiras do gênero, mergulhando nas complexidades da condição humana.

O cineasta não apenas narra uma história verídica, mas tece uma tapeçaria emocional que ressoa além da tela, tornando o filme um convite para contemplar não apenas a sobrevivência física, mas a preservação da humanidade em suas formas mais puras e desafiadoras, com cada quadro sendo uma exploração das profundezas da alma humana. Uma experiência rica que permanece gravada na mente do espectador por muito tempo.

  • Vai comprar na Amazon? Então ajude o Flixlândia adquirindo seus produtos pelo nosso link: https://amzn.to/41fnLbN.

Siga o Flixlândia nas redes sociais

Onde assistir ao filme A Sociedade da Neve (2024)?

O filme “A Sociedade da Neve” estreou nesta quinta-feira, dia 4 de janeiro de 2024, no catálogo da Netflix.

Trailer do filme A Sociedade da Neve, da Netflix (2024)

A Sociedade da Neve: elenco do filme da Netflix (2024)

  • Enzo Vogrincic
  • Agustín Pardella
  • Matías Recalt
  • Esteban Bigliardi
  • Diego Vegezzi
  • Fernando Contingiani
  • Esteban Kukuriczka
  • Francisco Romero

Ficha técnica do filme A Sociedade da Neve, da Netflix (2024)

  • Título original do filme: La Sociedad de la Nieve
  • Direção: J.A. Bayona
  • Roteiro: J.A. Bayona, Bernat Vilaplana, Jaime Marques, Nicolás Casariego, baseado no livro de Pablo Vierci
  • Gênero: drama
  • País: Espanha, Uruguai, Chile, Estados Unidos
  • Ano: 2024
  • Duração: 145 minutos
  • Classificação: 14 anos

Sobre o autor

2 thoughts on “‘A Sociedade da Neve’, uma obra de arte sobre resiliência e solidariedade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *