Um Homem por Inteiro crítica da série Netflix 2024

Foto: Netflix / Divulgação

A série “Um Homem por Inteiro” (A Man in Full), adaptação da Netflix do romance homônimo de Tom Wolfe, apresenta uma promessa imensa com um elenco estelar liderado por Jeff Daniels e Diane Lane e uma equipe de produção notável, incluindo Regina King na direção e David E. Kelley no roteiro. No entanto, apesar das expectativas elevadas, o lançamento da vermelhinha busca, mas nem sempre alcança, a profundidade e a nuance de seu material original.

Leia também:

Sinopse de Um Homem por Inteiro, da Netflix

Na trama, interesses políticos e comerciais entram em conflito quando Charlie Croker, um magnata do mercado imobiliário de Atlanta à beira da falência, defende seu império de quem quer lucrar em cima da sua desgraça.

Leia mais críticas de séries da Netflix

Cena da série "Um Homem por Inteiro", da Netflix
Cena da série “Um Homem por Inteiro”, da Netflix (Foto: Netflix / Divulgação)

Crítica da série Um Homem por Inteiro (2024)

“Um Homem por Inteiro” captura o espírito da era dos anos 1990 descrita por Wolfe com uma reimaginação para a os Estados Unidos de 2024, oferecendo um cenário instável que reflete desafios contemporâneos. No entanto, apesar de sua adaptação moderna, a série padece de uma execução que por vezes parece desconexa e superficial.

Jeff Daniels e Diane Lane oferecem atuações convincentes, elevando o material com seu carisma e profundidade, mas a série luta para manter um equilíbrio entre a sátira e a seriedade, perdendo em alguns momentos a mordacidade característica de Wolfe.

A direção de Regina King é competente, mas a série, em sua essência, não alcança a acidez e a crítica social aguda que o romance original ostentava. A adaptação de Kelley simplifica excessivamente a narrativa complexa de Wolfe, resultando em uma experiência que, embora visualmente agradável e bem atuada, carece do impacto satírico esperado.

A série se beneficia de momentos de brilho genuíno, especialmente nas interações entre Daniels e os demais atores, como Bill Camp e Aml Ameen. No entanto, o enredo se arrasta em muitos momentos e a série luta para encontrar seu tom, balançando entre o dramático e o satírico sem se comprometer totalmente com nenhum dos dois.

Confira todas as críticas de filmes da Netflix

Conclusão

O elenco forte e a alta qualidade na produção não trazem a “Um Homem por Inteiro” a complexidade e a crítica mordaz do material original de Tom Wolfe. A tentativa de modernizar e simplificar a história para o público contemporâneo resulta em uma perda de profundidade e de relevância temática.

  • Vai comprar na Amazon? Então ajude o Flixlândia adquirindo seus produtos pelo nosso link: https://amzn.to/41fnLbN

Siga o Flixlândia nas redes sociais

Onde assistir à série Um Homem por Inteiro (2024)?

“Um Homem por Inteiro” está disponível para assinantes da Netflix.

Trailer da série Um Homem por Inteiro

Elenco de Um Homem por Inteiro, da Netflix

  • L. Warren Young
  • Evan Roe
  • Jeff Daniels
  • Diane Lane
  • Bill Camp
  • Aml Ameen
  • Jon Michael Hill
  • Shanita Wilburn
  • Nathan Rudd

Ficha técnica de Um Homem por Inteiro (2024)

  • Título original: A Man in Full
  • Criação: David E. Kelley
  • Direção: Regina King, Thomas Schlamme
  • Roteiro: David E. Kelley, baseado no livro de Tom Wolfe
  • Gênero: drama
  • País: Estados Unidos
  • Ano: 2024
  • Temporada: 1
  • Episódios: 6
  • Duração: de 38 a 49 minutos
  • Classificação: 16 anos

5 thoughts on “‘Um Homem por Inteiro’ e a luta pelo equilíbrio de tons

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *