E Depois crítica do filme curta-metragem da Netflix 2023

Foto: Divulgação / Netflix

O que você faria se sua vida fosse perfeita e, de repente, perdesse sua filha pequena em um crime trágico? É a partir desse mote que o filme E Depois? (The After), curta-metragem de cerca de 18 minutos que estreou nesta quarta-feira, 25 de outubro de 2023, no catálogo da Netflix.

E Depois? aborda um tema sensível ao qual estamos expostos em nosso dia a dia. Afinal, tão acostumados à nossa rotina, como reagiríamos diante de uma tragédia inesperada? É nesse ponto que o curta-metragem se destaca e o que poderia ser um dramalhão, acaba sendo um grande exemplo de reflexão e resiliência.

Leia também

‘Desejo Proibido’ aproveita química entre protagonistas para esconder roteiro ruim

‘A Vida Diante de Seus Olhos’: você sacrificaria o seu destino para salvar quem ama?

Faltou só a piada do pavê em ‘Tiozões’

E Depois é bom?

Em decorrência do trauma, a vida de Dayo – brilhantemente interpretado por David Oyelowo (“Selma: Uma Luta Pela Igualdade”, 2014) se altera completamente. Embora não mostre com clareza (e nem precise disso), o casamento se dilacerou e o sua carreira bem-sucedida foi para o espaço. O protagonista (e aqui, sem fazer qualquer julgamento de profissão) vai de um executivo de sucesso a um motorista de aplicativo. O homem tenta se reconstruir, mas com o peso do passado a todo momento no seu encalço. Durante uma viagem como motorista, o encontro com uma passageira o obriga a encarar sua jornada de dor definitivamente.

Duas cenas são bem impactantes no decorrer do filme: a morte da criança e o choro angustiante do protagonista. Isso atribuído à trilha sonora “Let It All Go”, composta por Birdy and Rhodes, é difícil manter o espectador inabalado diante da tela. E isso conta muito em uma projeção de apenas 18 minutos.

Mas E Depois? vai além da dor de seu protagonista. É um curta-metragem também sobre empatia e sobre o desconhecimento de cada jornada. Uma obra sobre o próximo, sua história e seu legado. Uma aula de amor que toma poucos minutos do seu tempo e que vale a pena ser assistida.

Onde assistir ao filme E Depois (2023)?

O curta-metragem E Depois estreou nesta quarta-feira, dia 25 de outubro de 2023 no catálogo da Netflix.

Trailer do filme E Depois, da Netflix (2023)

E Depois: elenco do filme da Netflix (2023)

  • David Oyelowo
  • Jessica Plummer
  • Amelie Dokubo

Ficha técnica do filme E Depois, da Netflix (2023)

  • Título original do filme: The After
  • Direção: Misan Harriman
  • Roteiro: Misan Harriman, John Julius Schwabach
  • Gênero: drama
  • País: Reino Unido
  • Ano: 2023
  • Duração: 18 minutos
  • Classificação: 16 anos

18 thoughts on “‘E Depois?’ é uma obra, acima de tudo, sobre empatia

  1. Sinceramente, dá pra ver a boa atuação do ator, mas só isso! Não é impactante nem dramático. Curta decepcionante, e olha que tem curtas da Disney de 6 minutos mais emocionantes

  2. Uma tragédia que pode acontecer com qualquer um de nós, muda drasticamente a vida de um pai de família. Um curta metragem que daria um bom longa metragem.

  3. O filme mostra a profunda dor do luto familiar e financeiro na vida do protagonista.
    O luto da família e o luto de tudo mais que tinha na vida , sendo feita uma catarse desta dor , através da lembrança boa de todo o amor que ele tinha e que outros poderiam tb estar sentindo e não sentem.
    Considerei que ele vá seguir em frente com sua jornada, sustentado pelo amor que teve a felicidade de um dia possuir e saber valorizar , embora tendo perdido tudo por uma fatalidade da vida.

  4. filme para pensar ele que tinha uma família perdeu e a última família que ele leva o casal não se entende e tem uma filha linda mas não dão Valor

  5. O filme realmente só tem 18 minutos ?? Não acontece nada , tem um bom começo , não tem tempo de acontecer nada

  6. É… Fiquei com o questionamento,e depois?
    As mortes foram trágicas mas o filme é muito vago.
    Ficamos com o desejo do
    Depois…

  7. Vejo apenas comentários de pessoas que nunca sentirão a dor verdadeira de perder alguém importante, sinceramente parece que morreu e deve ser tanto faz tanto fez para os mesmos. Senti como se tivesse assistindo o maior pesadelo que tenho, achei dahora algo que possa sentir um remorso

    1. Pra quem escreve “perca de tempo”, deve mesmo ser difícil apreciar alguma obra com mais profundidade que um pires.

  8. Eu fiquei pensando, e depois, queria algo mais, ele tem que dar algum fruto, e depois, não precisava ser a morte trágica. A obra em si é boa mais e depois. Não sei se gostei ou não, e depois…….

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *