Somos-Guardiões-crítica-do-filme-documentário-da-Netflix-2023-2024

Foto: Netflix / Divulgação

O filme “Somos Guardiões” (We Are Guardians), que acaba de chegar à Netflix, mergulha nas complexidades da devastação da Floresta Amazônica, oferecendo uma visão impactante da batalha entre os defensores do meio ambiente e os responsáveis pelo desmatamento. Dirigido por Edivan Guajajara, Chelsea Greene e Rob Grobman, o documentário destaca a urgência da situação, focando em diversos personagens, desde os guardiões indígenas até madeireiros ilegais.

Leia também

Apesar dos destroços, ‘Em Ruínas’ se mantém de pé

Porrada canta bonito no primeiro trailer de ‘Em Ruínas’: CONFIRA!

‘Horizonte Profundo’, um blockbuster que trata uma tragédia com o devido respeito

Sinopse de Somos Guardiões

O documentário começa com a serenidade da Amazônia, rapidamente interrompida pelo estrondo das motosserras e árvores centenárias tombando. Marçal Guajajara, guardião indígena, lidera a resistência contra invasões ilegais, revelando a falta de proteção oficial. O filme explora as raízes políticas do problema, apontando o ex-presidente da República, Jair Bolsonaro, como um catalisador para o aumento do desmatamento.

Leia mais críticas de filmes da Netflix

Somos Guardiões é bom?

“Somos Guardiões” vai além das barreiras de um mero documentário, oferecendo uma experiência sensorial e intelectual profundamente impactante. A força do filme reside numa abordagem diferente, humanizando todos os envolvidos, seja o guardião indígena que luta por sua herança cultural, o madeireiro desesperado ou o proprietário de terra que clama por mudanças. O espectador entra num conflito emocional, confrontando não apenas a devastação ambiental, mas também as histórias humanas entrelaçadas com ela.

“Somos Guardiões” também se destaca com pelo apelo visual, com imagens deslumbrantes da Amazônia contrastando com os horrores do desmatamento. O ritmo da trama mantém o público envolvido, enquanto a trilha sonora realça sutilmente as emoções em cada cena. A integração de gráficos e imagens de arquivo acentua a escala global da crise, proporcionando uma compreensão mais profunda dos fatores que impulsionam a destruição ambiental.

A relevância do documentário é inegável no contexto atual, onde a destruição da Amazônia tem repercussões globais na crise climática. A mensagem de “Somos Guardiões” é mais do que uma simples conscientização: é um chamado urgente para uma ação coletiva, não só dos defensores como de todos nós. Ao apresentar o atual presidente Lula como uma esperança renovada e ao explorar soluções sustentáveis, o filme não apenas denuncia, mas também joga um farol para a regeneração.

Leia críticas de séries da Netflix

Conclusão

“Somos Guardiões” é um testemunho vívido da interconexão entre seres humanos e meio ambiente, lançando um olhar penetrante sobre uma crise que exige a atenção do mundo. A fotografia deslumbrante, as histórias impressionantes e a mensagem crucial fazem deste filme uma experiência imperdível para aqueles que buscam compreender, sentir e, acima de tudo, agir diante da urgência de proteger a Amazônia e, por extensão, o nosso planeta. O documentário ressoa como um alerta para preservar não apenas uma floresta, mas a herança de toda a humanidade.

  • Vai comprar na Amazon? Então ajude o Flixlândia adquirindo seus produtos pelo nosso link: https://amzn.to/41fnLbN.

Siga o Flixlândia nas redes sociais

Onde assistir ao filme Somos Guardiões (2024)?

O documentário “Somos Guardiões” estreou neste domingo, dia 28 de janeiro de 2024 no catálogo da Netflix.

Trailer do documentário Somos Guardiões, da Netflix (2024)

Ficha técnica do filme Somos Guardiões, da Netflix (2024)

  • Título original do filme: Somos Guardiões (We Are Guardians)
  • Direção: Chelsea Greene, Rob Grobman, Edivan Guajajara
  • Gênero: documentário
  • País: Brasil, Estados Unidos
  • Ano: 2023
  • Duração: 108 minutos
  • Classificação: 16 anos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *